Ujjayi, a respiração do Yoga
método ensinado por Erich Schiffmann- tradução: eloisa vargas
 
A respiração Ujjayi não é difícil de aprender. Envolve diminuir a abertura da garganta apertando a epiglote, que é feito do seguinte modo:

Suavemente, murmure a sílaba "ha" com a sua boca aberta. Haaaaaaaaaaaaaa alongue isto. Sinta o ar vibrando suavemente na parte de trás da garganta. Escute o som oco e limpo similar ao som do mar que você pode ouvir em uma concha. Produza este som enquanto inala e exala.
Agora, feche a boca e continue fazendo o mesmo som suave, liso, profundo e oco.

É mais fácil quando você exala mas também é possível quando você inala. Você agora está respirando através das narinas, com sua boca fechada, e a sucção ainda está vindo da parte de trás da sua garganta.

As narinas devem estar relaxadas e passivas de forma que você sente o ar por elas muito suavemente. Você não deve "cheirar"o ar para dentro. Você está gentilmente puxando o ar da parte de trás da garganta. Respire assim em todas as posturas.

Algumas pessoas conseguem fazer a respiração Ujjayi quase imediatamente. Outras, necessitam mais tempo para aprender. Se você tem problemas em conseguir logo, não desanime e continue tentando. Vale a pena aprender esta respiração porque você vai perceber um imediato impacto na sua prática de Yoga. Após aprendê-la, use-a com o mínimo de esforço possível. Elimine toda a tensão. Faça com que fique limpa, sem ondulações. Respire como se você estivesse bebendo o ar através de um canudo fino e longo. Mas não engula o ar. Puxe longamente, em respirações ralas.

Inicialmente, isto será desordenado, principalmente se você é principiante nas posturas. Com o tempo, você conseguirá uma respiração suave e homogênea.

Vantagens em respirar em Ujjayi

Primeiro: estreitar a abertura da garganta permite desenvolver um controle apurado da quantidade do fluxo de ar. Isto amplia e aprofunda a respiração consideravelmente.

Segundo: Pulmões e diafragma são fortalecidos uma vez que eles tem que trabalhar mais duramente para vencer a resistência da garganta. Com a dupla função de puxar e empurrar, os pulmões trabalham mais como um fole criando uma energia adicional que pode ser focalizada e canalizada para as diferentes partes do corpo. Com isto, você não cansará facilmente.

Quando você pegar o "feeling" desta respiração, não vai querer respirar de outra forma quando estiver fazendo Yoga. A medida que você estabelece um ritmo uniforme respirando em Ujjayi, se sentirá tomado por um poder suave e forte.
Finalmente, o som produzido pela sua garganta, manterá sua atenção na respiração. Isto fortalece sua atenção tornando mais difícil a sua mente vagar. O som permite a você saber se a respiração está fluindo uniforme, suave ou não. E estando atento na respiração, torna você atento e consciente do corpo inteiro porque a respiração é um reflexo direto do seu estado de conforto ou incômodo, facilidade ou tensão.

Quando seu corpo está confortável e livre de tensões impróprias, você respirará suave e profundamente com um som agradável vindo da sua garganta. Por outro lado, respirar suavemente, produz uma sensação de facilidade na postura. Quando você não consegue produzir um som Ujjayi plano e agradável, significa que está puxando demais, excedendo seus limites e que a postura está sendo difícil para você. Você realmente deveria ter cuidado para não ultrapassar seu nível atual de habilidade ou condição física.

Respirando com o som de Ujjayi na garganta, você tem um mecanismo de proteção e segurança embutido em você mesmo.
O uso apropriado da respiração age como uma ferramenta apurada para criar e sustentar um relaxamento energizado bem como para centrar sua atenção no momento presente.

Preparação para Respirar

1) Respiração abdominal -Sentado ou em pé, com uma mão no abdômen e com a outra no coração no nível da base do osso externo. Usar as mãos deste modo ajudará você a sentir o que está fazendo com maior precisão.Exale puxando a parede do abdômen para dentro, na direção da coluna.Para inalar, simplesmente solte a pressão que está fazendo para manter o abdômen para dentro e permita que sua barriga infle suavemente por trás da sua mão.Uma sucção natural vai ocorrer e o ar entrará naturalmente, automaticamente, não pressione sua barriga para a frente, mantenha-se livre de tensão e não mova a mão, mova apenas o abdômen. Respire assim por um minuto.

2) Respiração torácica -Coloque as palmas das mãos nas laterais do tórax nivelando com a parte baixa do externo com as pontas dos dedos apenas se tocando. Inicialmente, exale profundamente e agora, respire profundamente expandindo o peito e permitindo aos dedos da mãos se moverem, se afastarem. Arredonde o peito. Observe como o peito pode se expandir em todas as direções: lateralmente, para frente e para trás, para cima, simplesmente com o movimento do externo para cima.
Enquanto exala, gentilmente aperte a gaiola das costelas no interior das suas mãos. Isto ajudará a criar grande elasticidade nesta área. Respire assim por um minuto.

Unindo as duas respirações, baixa e alta:
Pense "como" respirar com uma combinação das duas preparações apresentadas acima:
A inalação inicia com um suave inflar do abdômen e segue, subindo, para a expansão plena da caixa torácica. O externo eleva-se e infla para a frente enquanto as omoplatas deslizam para baixo, nas costas.
Esta ação aumenta a distancia entre o topo das coxas e a parte de baixo das costela, a área da cintura, aumentando o espaço para o diafragma movimentar-se livremente.
Enquanto exala, permita as costelas relaxarem e voltarem ao centro sem perder o alongamento da coluna que foi obtido com a inalação e então gentilmente, puxe o abdômen para dentro.

Respire assim em todas as posturas durante a prática.
Inalação:
1) Primeiro, exale plenamente. Isto irá aplainar o abdômen, esvaziar os pulmões e criar espaço para uma inalação profunda.

2) Para inalar, simplesmente relaxe a contração abdominal e permita sua barriga inflar suavemente um pouco para a frente. Esta parte da inalação é passiva. Você não tem que fazer nada. Não dilate a barriga para fora na tentativa de captar mais ar. Apenas solte a puxada interna do abdômen. O ar entrará sem esforço.

3) Dirija a respiração para cima, no externo expandindo o peito e deslizando as omoplatas para baixo, nas costas. Eleve as costelas energicamente e alargue-se para os lados expandindo e aumentando as costas, puxando o externo para a frente e para cima. Isto vai permitir a ampla movimentação do diafragma puxando o ar profundamente para os pulmões, alisando de certa forma, o abdômen. Não encolha os ombros , mantenha-os baixos e relaxados. Saboreie o ar...

4) Finalmente, puxe o ar para cima nas clavículas e topo do peito. Isto aumenta de lado a lado o peito
alisando as pontas da clavícula e ajudando a mover os ombros suavemente para trás e para baixo.

Exalação:
5) Para exalar, relaxe as costelas, solte o ar suavemente e gentilmente puxe o abdômen para dentro. Mantenha o alongamento que você conseguiu na área da cintura, mantenha o externo elevado e o peito aberto. Deixe o topo da cabeça flutuar para cima.

Respirar deste modo, enche plenamente os pulmões. Toda a inalação irá, de fato, aumentar a distância entre os quadris e a cintura (parte baixa das costelas) , alonga a coluna e o tronco. Este é um importante movimento em várias posturas e por isto é importante dirigir a respiração para a parte alta do peito.
Estabilizando a coluna e elevando as costelas, obtemos grande liberdade de movimento na cintura, coluna e ombros. A parte média superior do corpo terá mais liberdade e as pernas também poderão se mover mais livremente dentro dos encaixes do quadril. Criamos mais espaço dentro do corpo, mais conforto e mais facilidade.
Enquanto respiramos deste modo, tentamos fazer a transição da barriga para o peito e clavículas, fluindo num mesmo plano a inalação e a exalação. Vamos sentir um ritmo de ondas, como se a respiração estivesse surfando as ondas pelo nosso corpo.


yoga master Erich Schiffmann
Santa Mônica/ CA    
              





www.yogabrasil.com.br